Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Moradores e produtores rurais comemoram as obras na Estrada da Picadinha

As obras de pavimentação e implantação de pontes de concreto na Estrada da Picadinha, em Maracaju, vão mudar a realidade local e levar desenvolvimento para toda região. Esta é a avaliação dos moradores, produtores rurais e profissionais que utilizam a rodovia diariamente. Para construir este novo cenário o Governo do Estado está investindo mais de R$ 98 milhões em diversas frentes de trabalho.

A pavimentação da estrada segue em duas etapas, sendo a primeira de 30,8 km, no valor de R$ 48,5 milhões, começando no entroncamento da BR-267 com a MS-162, e a segunda (etapa), que tem mais 24,92 km, seguindo até a MS-270 (placa do Abadio), próximo aos municípios de Dourados e Itaporã, no valor de R$ 50 milhões.

Os dois trechos estão na fase de terraplanagem. A engenheira responsável pela primeira etapa, Gabriela Souza, ressaltou que a expectativa é concluir toda pavimentação deste primeiro lote até o final do ano, antes de começar o período das chuvas, para que a população já possa usufruir desta nova estrutura.

Junto com estas duas frentes de trabalho, também seguem outras obras na rodovia, entre elas a implantação da ponte de concreto sobre o Córrego Sete Voltas, que está em pleno vapor. Os trabalhos no local já somam 60 dias e a previsão é que a nova estrutura de 30 metros fique pronta em um mês.

Realização de um sonho

Para os moradores, produtores rurais e pessoas que trafegam pela estrada, a pavimentação da rodovia que vai ligar Maracaju a Dourados será um “sonho realizado”, já que vai reduzir a distância, diminuir o tempo de viagem, melhorar as condições do percurso, contribuir com o escoamento da produção e acabar com a poeira e atolamentos na região.

“Será um avanço sem tamanho, um grande sonho que será realizado. Uma contribuição que os produtores e moradores não vão esquecer”, descreveu o produtor rural Marcelo Cassim Corrêa, de 53 anos, que tem uma fazenda na região. Ele contou que faz parte da quarta geração da família, que é uma das primeiras de Maracaju. “Quando ficar pronto o asfalto tenho certeza que meu pai de 85 anos vai chorar de emoção”.

Para o médico veterinário, Joconias Felix, que trabalha em várias fazendas ao redor da rodovia, o asfalto vai contribuir e ser a solução de vários problemas no trecho. “Quando chove muito o acesso fica difícil por aqui, muitos carros atolados e buracos. A pavimentação vai ajudar por exemplo no escoamento de produtos e transporte de gado”, citou ele.

O fazendeiro Arlai Antônio Pesqueira, que veio de Santa Catarina e está há dois meses na região, citou que a obra será muito importante para produção local. “Vai contribuir demais com a lavoura, os caminhões não vão mais atolar e nem cair em buracos. São investimentos que fazem a diferença para quem produz”.

Escoamento da produção

O agricultor Charles Pagnocelli, de 51 anos, que produz soja, milho e tem criação de gado na frente da estrada da Picadinha, avalia que o escoamento da sua produção será “200% melhor” do que é atualmente, quando a obra ficar pronta. “Vai reduzir o tempo para chegar a Dourados e teremos condições muito melhores para levar nossos grãos”.

Ele contou que tem muitos gastos com estragos e manutenção dos caminhões, devido a situação da estrada, que terá uma nova realidade no futuro. “Tem veículos que atolam, muitos pneus estragados e já teve até acidentes com caminhões tombando ao longo do trecho. Esta pavimentação será essencial”.

Outra preocupação é com o transporte escolar das crianças. “Até chegar nas escolas na cidade passam por muita poeira, em temperaturas altas, por isso esta melhoria na rodovia vai contribuir com todos, não apenas para escoar a produção”.

A produtora rural, Edimeia da Silva Lima, 72, tem a sede da sua fazenda em frente a construção da nova ponte de concreto. Ela está ansiosa para ver a estrada toda pavimentada. “Estou aqui desde 1964, cheguei na região com 9 anos de idade. Esta obra do Governo vai nos ajudar muito, para acabar com a poeira, atolamento de caminhões, dispondo assim de uma estrada em ótimas condições”.

A caminho da Fazenda Bom Sucesso, onde faria o carregamento de milho até o Rio Grande do Sul, o motorista de carreta, André Delazari, ressaltou que a obra de pavimentação vai facilitar o transporte de grãos na região. “Vai adiantar nosso serviço, com uma rodovia em boas condições para levar a produção, sem danificar os caminhões e reduzindo os buracos”.

Colunas