Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

MS-306 ganha neste ano mais 78 km de acostamento e radares

A rodovia MS-306 vai ganhar 78 quilômetros de acostamento em 2022. As obras fazem parte do investimento que a estrada concedida pelo Governo Estadual vem recebendo há dois anos e que incluem conservação e manutenção e serviços de atendimento ao usuário.

A programação das novas obras de acostamento foi informada pelo presidente da concessionária Way 306, Paulo Lopes, durante entrega de R$ 45 mil a três entidades assistenciais por meio do Projeto Fazenda Corredor, iniciativa da Agems (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos) em parceria com a concessionária. Projetos da Apae de Costa Rica, Casa da Sopa e Lar dos Idosos foram os contemplados.

Fiscalização permanente

É também em Costa Rica que serão executados os principais trechos de acostamento em 2022. Os investimentos estão previstos no contrato e a Agems fiscaliza o cumprimento dessas obrigações.

Lopes lembrou que, além do benefício direto de segurança e trafegabilidade proporcionado por esse tipo de intervenção na via, a execução de obras gera ganho financeiro para as cidades. “O ISSQN (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza) vai render ainda mais para a cidade”, ressaltou.

Somente entre abril de 2021 e janeiro de 2022, Costa Rica, Chapadão do Sul e Cassilândia receberam R$ 4,093 milhões em repasses dessa origem. “É um dinheiro extra muito bem-vindo, que não exige nenhuma contrapartida, simplesmente recebemos e investimos na nossa cidade”, comemorou o prefeito Cleverson dos Santos.

Velocidade segura

Outra melhoria de tráfego que a MS-306 já está recebendo é a instalação de radares, que devem ajudar a reduzir acidentes provocados por excesso de velocidade.

“Fizemos um estudo técnico para definir os pontos de instalação, locais em que é preciso os motoristas ficarem atentos e respeitarem os limites para ter segurança”, explicou o gerente de Operações da Way, Marcelo Ceccarelli.

O prefeito Cleverson Santos lembrou, ainda, que as manutenções de pista que vêm sendo feitas desde que a rodovia foi concedida já mudaram o panorama do município.

Segundo ele, havia pontos onde antes era impossível a Prefeitura executar outros serviços que dependem de tráfego de veículos em razão da grande quantidade de buracos. “O custo de conserto dos carros era altíssimo. Nossa trafegabilidade mudou completamente”.

Colunas