Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Workshop viabiliza projeto de revitalização do Parque Antenor Martins

Na última semana, representantes da sociedade civil, universidades e dos setores público e privado de Dourados participaram do Workshop em Cidades mais Humanas Inteligentes e Sustentáveis (WCHIS), que visa desenvolver projetos estruturantes capazes de transformar determinada região da cidade em um lugar com mais desenvolvimento e sustentabilidade para a comunidade. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Cleriston José Recalcatti, representou a administração municipal.

A oficina teve início na segunda-feira (30) e finalizada na sexta-feira (3) com encontros virtuais diários. A iniciativa foi promovida por meio do eixo “Inovação” do programa Cidade Empreendedora, executado pelo Sebrae/MS em parceria com a Prefeitura Municipal de Dourados, e trouxe de forma inédita para o município uma metodologia desenvolvida pelo LabCHIS – Laboratório internacional de pesquisa e consultoria sobre Cidades mais Humanas, Inteligentes e Sustentáveis, ligado ao Programa de Pós-graduação em Engenharia e Gestão do Conhecimento, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Em Dourados, o local escolhido para ser o foco do projeto WCHIS foi o Parque Antenor Martins, integrando ações inovadoras com a participação da sociedade, entidades governamentais e não governamentais e universidades para promoção sistemática do bem-estar à toda população e a transformação sustentável da cidade, envolvendo saúde, cultura, economia, educação, turismo, meio ambiente, lazer, segurança pública, mobilidade urbana, entre outros.

De acordo com a gerente da Regional Sul do Sebrae, Vanessa Pereira Reis, a proposta ter um espaço que possa ser reconhecido pela população como um local mais humano, inteligente e sustentável. “Tudo isso começou com essa proposta, em parceria com a UFSC. Eles visitaram na semana passada o local chis e conversamos com as secretarias municipais e os demais atores envolvidos nessa ação. O parque é um local que já possui um entardecer muito bonito e está localizado em uma região bem populosa”, comentou.

O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Cleriston Recalcatti destacou que esse estudo pode servir de norte para novas ações da pasta. “A partir deste Workshop, a administração pública municipal fomenta parcerias que facilitarão o desenvolvimento de programas de políticas públicas, que priorizarão planos e metas, além de desburocratizar processos e sanar demandas por meio das tecnologias aplicadas”, ressaltou.

A responsável pela governança colaborativa do projeto WCHIS, Tatiana Schreiner, doutoranda em Engenharia e Gestão do Conhecimento UFSC, explica que com o processo de escuta ativa, observação e interação com pessoas da comunidade local e participantes, uma primeira rede se forma para criar soluções colaborativas que possam gerar repercussões pelo município. “A partir da escuta e identificação de problemas específicos envolvendo as áreas ambiental, social e econômica, são criadas soluções para serem articuladas em um arranjo institucional, que chamamos de governança colaborativa”, frisou.

Tatiana destacou ainda que o parque é um ativo da cidade, um importante bem comum da população que demanda por muitos cuidados nas áreas ambiental e social e também do investimento público e privado – temáticas abordadas no WCHIS. “A questão da qualidade das águas do lago foi observada de forma sistêmica entre os grupos de trabalho e a governança colaborativa vai buscar ativar uma rede entre os diversos atores para estruturar ações que passam pela educação ambiental e engajamento da população para transformar o Parque do Lago em uma área mais humana, inteligente e sustentável”, concluiu.

Neste ano, Corumbá e Chapadão do Sul, que integram o programa Cidade Empreendedora também já receberam o Workshop em Cidades mais Humanas Inteligentes e Sustentáveis (WCHIS).

Colunas