Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Deputados devem votar proposta que ajuda prefeitos na regularização de dívidas

Os deputados devem votar nesta quarta-feira (29), durante a sessão plenária da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS), proposta que visa ajudar gestores e ex-gestores municipais a regularizem débitos com o Tribunal de Contas do Estado (TCE). Além desse, outros sete projetos devem ser votados hoje. As propostas dispõem, entre outros temas, sobre servidores públicos e direitos da mulher. 

Construído a partir de intermediação da ALEMS, o Projeto de Lei 186/2022, do TCE-MS, está previsto para ser votado em primeira discussão. A matéria institui o Programa de Regularização Fiscal (Refic) do Fundo de Desenvolvimento, Modernização e Aperfeiçoamento do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul (FUNTC), com o objetivo de promover a quitação de débitos provenientes de multas aplicadas a gestores públicos. Os descontos chegam a 90% em se tratando de multas com valores até 120 Uferms.

Os parlamentares também devem votar três projetos que promovem direitos a mulheres. Um deles é o Projeto de Lei 182/2022, que assegura às servidoras em mandato classista o direito de usufruir a licença gestante, sem quaisquer prejuízos. A proposta, do Poder Executivo, altera a Lei Estadual 1.102/1990, que dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis do Poder Executivo, das Autarquias e das Fundações Públicas de Mato Grosso do Sul. O projeto deve ser votado em segunda discussão.

Também relativo à promoção de direito da mulher, o Projeto de Emenda Constitucional (PEC) 01/2022, previsto para ser votado em primeira discussão, prevê licença maternidade para ocupantes de cargo eletivo na ALEMS. De autoria do deputado Paulo Duarte (PSB) e outros parlamentares, o projeto estabelece que deputadas gestantes ou que adotarem crianças recém-nascidas terão direito à licença maternidade.

Outra proposta de defesa da mulher está previsto para primeira discussão. Também de autoria do deputado Paulo Duarte, o Projeto de Lei 50/2022, cria o Programa “Mulheres contra a Violência Doméstica e Familiar”. A matéria dispõe sobre orientações aos profissionais da área de beleza e estética a serem multiplicadores de informações contra a violência doméstica e familiar.

Servidores públicos

Duas propostas relativas a servidores públicos também estão previstas para a sessão desta quarta-feira. O Projeto de Lei 158/2022, do Poder Judiciário, pautado para primeira discussão, altera a Lei Estadual 3.310/2006, que dispõe sobre Estatuto dos Servidores Públicos do Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso do Sul.  O objetivo é “tornar mais simples o reajuste da assistência médico-social paga aos servidores inativos e pensionistas, retirando da lei o percentual que determina o valor do benefício e conferindo ao Presidente do Tribunal de Justiça a faculdade de estabelecer e atualizar o respectivo valor”.

Deve ser também votado, em primeira discussão, o Projeto de Lei 188/2022, de autoria da Mesa Diretora da Casa de Leis. A matéria regulamenta o parágrafo 12 do artigo 27 da Constituição Estadual para dispor sobre a remuneração dos servidores da ALEMS.

Bioinsumos e homenagem

Os deputados devem votar, ainda, o Projeto de Lei 161/2022, do Poder Executivo, que institui o Programa Estadual de Bioinsumo. O objetivo, de acordo com o Governo, é adequar a legislação estadual ao Programa Nacional de Bioinsumos (Decreto Federal 10.375/2020), “que tem como foco o aproveitamento do potencial da biodiversidade brasileira para redução da dependência dos produtores rurais em relação aos insumos importados e a ampliação da oferta de matéria-prima para o setor”. A proposta está pautada para primeira discussão. 

Em discussão única, está prevista a votação do Projeto de Lei 160/2022, de autoria do deputado Jamilson Name (PSDB). A proposta denomina “Ponte Guilherme Gomes da Silva” a ponte sobre o córrego Barra Mansa, na rodovia MS-324, em Água Clara-MS. Guilherme Gomes da Silva, que chegou ao município na década de 1970, era empresário do ramo de pontes de madeira. Ele faleceu em maio de 2009.

Colunas