Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Procuradora é homenageada com o Diploma Bertha Luz, concedido pelo Senado Federal

A Procuradora de Justiça Ana Lara Camargo de Castro recebeu nesta quarta-feira (23/3), em sessão solene no Senado Federal, o Diploma Bertha Luz – homenagem a quem se destaca na luta pelo protagonismo feminino no Brasil.

O prêmio foi uma indicação feita pela Senadora Soraya Thronicke que reconheceu a atuação e a dedicação da Procuradora de Justiça, responsável pela implementação da Promotoria de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar em Campo Grande.

A Procuradora de Justiça agradeceu à Senadora a indicação e reforçou a sua luta pelos direitos das mulheres: “Meu trabalho na defesa dos direitos das mulheres sempre foi uma obra coletiva, de muitas mãos que se solidarizam. Funda-se na minha crença na construção de uma sociedade plural, justa e igualitária, em consonância com os marcos civilizatórios que propulsionam os avanços da humanidade e transborda também da esperança viva na educação como instrumento transformador”.

A sessão foi aberta pelo Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que ao lembrar do pioneirismo e luta da bióloga Bertha Lutz como figura central do movimento sufragista brasileiro, disse que a personalidade continua até hoje a inspirar mulheres no caminho da autonomia e do respeito na sociedade brasileira.

A cerimônia de premiação contou com a participação da farmacêutica e bioquímica Maria da Penha Maia Fernandes, ativista brasileira reconhecida pela luta das mulheres vítimas de violência doméstica e familiar. Maria da Penha recordou que recebeu o diploma em 2005 e reforçou que, de lá para cá, muitos avanços e conquistas em defesa da mulher foram alcançados. No entanto, a líder lançou desafio às mulheres para que possam traçar um “plano de quebra de legados” que, na sua visão, ainda persistem e são responsáveis por manterem práticas que vulnerabilizam os processos de empoderamento feminino atualmente.

O Diploma

O Diploma Bertha Lutz é entregue pelo Senado desde 2001, em reconhecimento a pessoas que se destacam no protagonismo das mulheres na sociedade brasileira. O nome do Diploma é uma referência a Bertha Lutz, precursora no Brasil na luta pelo direito de voto às mulheres, conquistado em 1932.

Este ano, o Diploma Bertha Lutz completa 20 anos e depois de dois anos de interrupção, devido à pandemia de covid-19, a honraria voltou a ser entregue pelo Senado.

Na cerimônia desta quarta-feira, 21 mulheres receberam a condecoração, entre elas estão empresárias, políticas, pesquisadoras, profissionais da saúde e do direito como a Procuradora de Justiça do Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul Ana Lara Camargo de Castro; a jornalista Flávia Cintra; e a empresária brasileira e comandante da rede de lojas de varejo Magazine Luiza, Luiza Helena Trajano.

Bertha Lutz

Bertha Lutz (1894-1976) é uma referência para o movimento feminista no Brasil. Ela foi a segunda mulher a se tornar deputada federal na história do país. A primeira foi Carlota Pereira de Queirós. Bertha era formada em Biologia e Direito e foi a primeira mulher a integrar uma delegação diplomática brasileira, em 1945, na conferência em que foi redigida a Carta das Nações Unidas. Ela também integrou a delegação brasileira participante da Conferência do Ano Internacional da Mulher, no México, em 1975.

Colunas