Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Rota Bioceânica: Autoridades nacionais e estrangeiras destacam importância de Fórum

Organizado pelo Ministério das Relações Exteriores e realizado pela Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS), em conjunto com o Governo do Estado, a Frente Parlamentar Internacional do Corredor Bioceânico e a Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul), o 1º Fórum “Integração dos Municípios do Corredor Bioceânico’’, que acontece na Casa de Leis nos dias 26 e 27, a partir das 7h (credenciamento), será um espaço para discussão e definição de negócios em diferentes setores da economia do Brasil e de outros países. A importância do Fórum é destacada por autoridades nacionais e estrangeiras que participarão do evento.

O ministro da carreira diplomática do Ministério das Relações Exteriores, João Carlos Parkinson de Castro, que já está em Campo Grande, ressaltou a relevância da Rota Bioceânica para as exportações brasileiras, destacadamente para a região Centro-Oeste. “O objetivo é encurtar as distâncias, otimizando as exportações do Centro-Oeste brasileiro a mercados como Ásia, Oceania, Estados Unidos e Chile”, disse Parkinson durante agenda na Capital.

João Carlos Parkinson, que também é o coordenador nacional do Corredor Rodoviário Bioceânico, informou, em outra ocasião, algumas vantagens da Rota. “Com o corredor, almeja-se oferecer aos produtores de Mato Grosso do Sul, Goiás e Tocantins alternativa logística que reduzirá o tempo do trânsito internacional em 12 dias e o custo do transporte, além de evitar a passagem pelo Canal do Panamá e o ingresso pelo Sul do país. Será possível exportar carne para a Indonésia com redução de custo de 20%. A título de informação, o custo de transporte de produto exportado de Singapura para Campo Grande ficará 22% mais barato”, explicou.

Referindo-se à Rota Bioceânica como “o novo canal do Panamá”, o embaixador Luis María Krecler, cônsul-geral da Argentina em São Paulo, com participação confirmada no Fórum, enfatizou a importância do evento para discussão de tema tão importante. “A Rota Bioceânica vai fazer com que possamos chegar aos portos chilenos com nossos produtos. Isso é muito importante para o Norte da Argentina, para o Paraguai, para o Mato Grosso do Sul e para o Chile também. Não só para a saída, mas também para a entrada, porque muitos produtos importados da Ásia vão entrar por aqui”, disse o cônsul em reunião realizada neste mês com o deputado Paulo Corrêa (PSDB), presidente da ALEMS. “É um novo canal do Panamá. É um projeto ambicioso. Por isso esse Fórum é importante. O Fórum vai nos ajudar a pensar sobre como efetivar tudo isso e qual a maneira mais rápida”, acrescentou o embaixador.  

“Precisamos debater este assunto, que é de interesse de Mato Grosso do Sul e que vai alavancar a economia do Estado e do País”, comentou o senador Nelsinho Trad (PSD/MS), presidente da Frente Parlamentar Internacional da Rota Bioceânica. Ele ressalta que 23 municípios de Mato Grosso do Sul (perto de 30% do total) deverão ser beneficiados pela Rota Bioceânica. Diretamente, o corredor rodoviário incluirá oito municípios (Porto Murtinho, Jardim, Caracol, Bela Vista, Guia Lopes da Laguna, Nioaque, Sidrolândia e Campo Grande ) e interferirá nas atividades de outros 15 (Nova Alvorada, Terenos, Jaraguari, Bandeirantes, Ribas do Rio Pardo, Aquidauana, Anastácio, Dois irmãos do Buriti, Bonito, Ponta Porã, Dourados, Rio Brilhante, Maracaju, Itaporã e Antônio João).

O papel da Rota nas exportações também foi enfatizado pelo prefeito de Nioaque, Valdir Couto de Souza Júnior (PSDB), presidente da Assomasul. Ele destaca, por decorrência, o apoio dado pela Associação a ações como o Fórum. “O corredor criado pela Rota Bioceânica vai conectar territórios do Brasil, Paraguai, Argentina e o Chile, reduzindo o tempo de deslocamento de carga, frete, melhorando a logística de transporte e elevando a competitividade nas exportações para a Ásia. Além disso, vai fomentar o turismo, estimular a criação de novos fluxos de comércio regional e aprofundar a integração entre esses países”, listou Valdir Júnior. Para o desenvolvimento econômico de Mato Grosso do Sul, é estratégica uma saída para o Oceano Pacífico. Por esses motivos, apoiamos a realização de ações concretas para a efetivação da Rota”, completou.

O 1º Fórum é um evento importante porque tratará de um projeto que causará transformações profundas com reposicionamento de Mato Grosso do Sul no mercado internacional. De acordo com o secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, a Rota provocará mudanças profundas. “A partir do momento da implantação da Rota Bioceânica, ligando o Mato Grosso do Sul aos portos do Pacífico, vamos ter uma mudança de posicionamento geopolítico do estado. Mato Grosso do Sul passa a ser, dentro do centro da América do Sul, um potencial hub logístico para as exportações para os países asiáticos”, afirmou. “ A Rota significa desenvolvimento, perspectiva estratégica e um novo Mato Grosso do Sul”, definiu.

Programação

Está previsto o Ato de Assinatura dos Convênios Intermunicipais da Rota Bioceânica. Em seguida, estarão em debate a “Importância da Rota Bioceânica para a Advocacia”, “As Vantagens do Corredor Rodoviário Bioceânico e seu Impacto Comercial”, “Produção, Infraestrutura e Logística”, “Acordo de Livre Comércio Chile-Brasil” e “Zonas Francas da Província de Jujuy”.

A “Indicação de custos, disponibilidade de carga e tempo”, “Potencial de Carga e as Condições da Malha Oeste” e a “Apresentação da Proposta de Integração do Sistema Ferroviário Bioceânico”, também serão tratados durante o evento. Entre as palestras, haverá temas como: “A Experiência Inovadora do Financiamento de Obras Públicas por Itaipu Binacional”, “O Potencial Agrícola de Mato Grosso do Sul e o Corredor Rodoviário Bioceânico” e “Chile, ambiente de negócios e oportunidades de investimento”, entre outros temas.  

A programação completa do Fórum pode ser acessada clicando aqui

O 1º Fórum “Integração dos Municípios do Corredor Bioceânico’’ contará com a cobertura de toda a equipe da Secretaria de Comunicação Institucional da ALEMS, com conteúdos ao vivo e também disponibilizados no Site Oficial, na TV ALEMS e na Rádio ALEMS. Fotos do evento estarão no Banco de Imagens, na aba Comunicação do site. 

As transmissões ao vivo serão realizadas pelo canal 9 da Claro Net TV, TV ALEMSYoutubeFacebookRádio ALEMS e aplicativo Assembleia MS (Android/iOS). Para participar presencialmente, é necessário o cadastro por meio do link de inscrição.

Colunas