whatsapp-image-2021-09-20-at-18.47.11

Vacinação – veja quem pode ser vacinado contra Covid hoje, em Campo Grande

A vacinação contra a Covid-19, em Campo Grande, hoje, é para cinco públicos e a partir das 12h, em vários pontos de imunização, mais as Unidades de Saúde. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), podem ser vacinadas:

  1. Pessoas com 63 anos ou mais que tomaram a segunda dose até 18 de maio;
  2. Pessoas com alto grau de imunossupressão com 18 anos ou mais, que tomaram a segunda dose há pelo menos 28 dias. Neste caso, é preciso apresentar laudo médico;
  3. Quem tomou primeira dose da Pfizer até 18 de agosto;
  4. Quem se vacinou com a primeira dose da AstraZeneca até 22 de julho;
  5. Quem recebeu a primeira dose da CoronaVac até 30 de agosto.

Aqueles que estão nestes cinco grupos poderão procurar apenas cinco pontos de imunização, das 12h às 22h. Confira os locais:

  • Drive-thru Ayrton Senna: 12h30 às 22h;
  • Drive-thru UCDB: 12h30 às 22h;
  • Seleta: 7h30 às 16h45;
  • Guanandizão: 12h30 às 22h;
  • Unidades de Saúde: 12h às 16h45h (veja os locais na imagem abaixo).

Vacinação: aplicação da 2ª dose de astrazeneca e coronavac hoje

Hoje, a Prefeitura de Campo Grande dá continuidade exclusivamente à aplicação da segunda dose de Astrazeneca-Oxford-Fiocruz e da Coronavac-Sinovac-Butantan. O atendimento acontece à tarde nas unidades de saúde e polo de vacinação Seleta.

Conforme o calendário estabelecido pela Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), devem receber a segunda dose as pessoas que se tomaram Astrazeneca até o dia 21  de julho ou a Coronavac até o dia 29 de agosto. A data da aplicação das vacinas pode ser consulta na carteirinha digital disponível no site de cadastro: http://vacina.campogrande.ms.gov.br.

Quem ainda não tomou a primeira dose pode procurar qualquer um dos locais de vacinação referenciados. A vacinação será feita mediante disponibilidade de doses.

Imunização

Desde o dia 19 de janeiro, 631.894 pessoas foram vacinadas com a primeira dose, o que representa 69.74% de toda a população campo-grandense. Destas, 506.700 já receberam as duas doses ou a dose única e estão completamente imunizadas, o equivalente a uma cobertura vacinal de quase 56%. Conforme dados parciais do “Vacinômetro”, 35.158 pessoas tomaram a dose de reforço (terceira todo). Ao toto, 1.173.752 doses de vacinas contra a Covid-19 foram aplicadas em Campo Grande

Vá de Uber

A Prefeitura de Campo Grande e a Uber fecharam parceria de R$ 100 mil em descontos para viagens na Capital. Os códigos promocionais serão distribuídos com objetivo exclusivo de facilitar o deslocamento até os postos de vacinação contra Covid-19.

Os códigos promocionais garantirão viagens gratuitas de ida e volta aos locais de vacinação, no valor máximo de R$ 25. O código precisa ser adicionado no aplicativo da Uber antes das viagens.

Veja como ativar o código de desconto:

1. Abra o aplicativo e selecione o menu (três linhas verticais no canto superior esquerdo)
2. Entrar no item “Wallet” ou “Pagamento” e rolar até a parte de baixo
3. Em “Promoções”, selecionar a opção “Adicionar código promocional” (Não vai funcionar como “voucher”)
4. Digite o código VACINACG
5. O código funcionará das 7h da manhã até as 18h.

Onde se vacinar ?

Seleta –12h às 16h45
Unidades de saúde – 
13h às 16h45

Lagoa 

  • USF Oliveira
  • USF Batistão
  • USF Coophavila
  • UBS Buriti
  • USF São Conrado
  • C.F Portal Caiobá
  • USF Tarumã

Segredo 

  • UBS Coronel Antonino 
  • USF São Francisco 
  • USF Vila Nasser 
  • USF Paradiso
  • USF Azaleia
  • C.F Nova Lima

Imbirussu 

  • USF Silvia Regina
  • USF Albino Coimbra 
  • UBS Lar do Trabalhador 
  • USF Aero Itália
  • USF Serradinho
  • USF Indubrasil
  • USF Zé Pereira

Bandeira 

  • USF Arnaldo Estevão de Figueiredo
  • UBS Universitário 
  • USF Itamaracá 
  • USF Moreninha
  • USF MAPE

Prosa 

  • USF Noroeste 
  • USF Nova Bahia 
  • USF Mata do Jacinto
  • USF Estrela Dalva

Anhanduizinho 

  • UBS Jockey Club
  • UBS Dona Neta
  • C.F Iracy Coelho 
  • USF Los Angeles
  • USF Anhanduí
  • USF Botafogo
  • UBS Pioneira
idosos-atividade-fisica-exercicios

Idoso deve investir em treino com propriocepção para reduzir risco de queda.

O envelhecimento e crescimento da população com mais de 60 anos é uma tendência mundial. Por isso, cada vez mais se investe em entender o envelhecimento da população, quebrando-se paradigmas de que idosos são inativos ou que envelhecer representa adoecer.

Mas precisamos cuidar da qualidade de vida dos idosos e nunca podemos ignorar o aumento do risco de quedas que há nessa fase da vida. Isso é uma questão extremamente relevante de saúde pública, pois um tombo nessa faixa etária pode levar a diversos transtornos e complicações que se relacionam à mortalidade.

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), cerca de 30% das pessoas com mais de 65 anos caem ao menos uma vez por ano, sendo a maior parte das quedas em casa.

No envelhecimento, há, de fato, a deterioração fisiológica que pode levar a uma redução de capacidades físicas, como mudanças na composição de fibras musculares com a perda progressiva de fibras rápidas, responsáveis pelo tempo de reação e resposta rápidas, o que diminui a eficácia das estratégias motoras do equilíbrio corporal e de tempo de reação ao equilíbrio.

Há ainda mudanças do padrão de marcha ao caminhar, idosos tendem a diminuir o balanço dos braços, que ajudam no equilíbrio. Também tendem a ter menor capacidade de rotação da pelve e do apoio em um pé só, além de uma redução de acurácia visual. Enfim, uma série de mudanças que, de forma geral, aumentam o risco de um tombo, mas grande parte delas são reversíveis, passíveis de serem prevenidas ou tratadas.

A propriocepção e o equilíbrio como base para combater a queda.

Primeiro, vale entender o que é a propriocepção. Ela pode ser interpretada e simplificada como o feedback dos membros ao sistema nervoso central: a capacidade inconsciente de sentir o movimento e a posição de uma articulação no espaço. Simplificadamente, é capacidade de saber onde está uma parte do corpo sem precisar da visão —ao fechar os olhos, você continua sendo capaz de tocar os joelhos sem olhar para suas mãos, pois sempre sabe onde elas estão.

Esse feedback sobre a nossa posição no espaço e a “consciência” para responder e sentir os estímulos externos é chamada de propriocepção e ela informa ao cérebro como reagir rapidamente para proteger e alterar o movimento quando necessário.

Teste prático

Vamos tentar usar apenas o estímulo proprioceptivo e um pouco menos o seu estímulo visual —um desafio —, pois você irá perceber o quão dependente pode ser do visual para manter-se estável. Faça o teste abaixo apoiado, para não correr o risco de queda, e sob supervisão de uma pessoa que possa amparar você em caso de tontura.

FASE 1 Olhos abertos. Em pé (encostado na parede, se necessário), mantenha os pés unidos e observe como você está posicionado. Você está oscilando? Estável? Com os pés firmes? Preste atenção no posicionamento dos seus membros e do tronco. Conte 8 segundos. Como se saiu em relação ao seu equilíbrio?

FASE 2 Olhos fechados. Agora, na mesma posição da fase 1, feche levemente seus olhos e observe seu equilíbrio. Conte 8 segundos. O posicionamento anterior e sua estabilidade se mantiveram? Você ficou tenso? Ou com joelhos ou tornozelos oscilando?

Foi mais fácil se manter firme com olhos abertos ou fechados?

Saiba que 99,9% das pessoas dirão que é muito melhor se manter estável de olhos abertos. Agora, pense na importância da propriocepção conforme estamos em pé e precisamos manter nosso equilíbrio e segurança articular. Pense também que as quedas de forma geral ocorrem em casa, ao usar o banheiro, levantar no meio da noite para beber água etc.

Revisões sistemáticas têm apontado que programas de atividade física são capazes de aumentar o equilíbrio de idosos e prevenir quedas. Estudos mostram que a inserção de atividades físicas promove melhorias de até 42% em comparação às avaliações iniciais em pessoas 60+ sem qualquer tipo de atividade.

De acordo com a fisioterapeuta doutorada pela Unifesp e pós-graduada em geriatria e gerontologia Renata Luri, ”na prática clínica há diversos exercícios que podem ser feitos como estratégia para melhorar o equilíbrio. Testes práticos que progridem e evoluem para aprimorar essa capacidade proprioceptiva.

No idoso, há a prioridade em se trabalhar esse tipo de exercício, focando em prevenção de quedas e evitando complicações decorrentes. O equilíbrio é multifatorial e pode ser efetivamente melhorado por diferentes meios de treinamento físico.

Os exercícios abrangem também lapidar o nível de atenção em idosos de forma progressiva, com atividades e movimentos habituais da rotina da pessoa, como realizar exercícios de equilíbrio em superfícies instáveis, associando-os com dupla-tarefa, como andar lembrando-se de nomes de produtos do mercado, subir escadas conversando, entre outras, que se relacionam à qualidade de vida de forma bem funcional”.

É fundamental promover a atividade física no idoso tanto para prevenção quanto para o tratamento de problemas que afetam a saúde e a qualidade de vida.

Atenção! Para tratamento ou prevenção é importante o acompanhamento de profissionais de saúde, que vão dar a orientação adequada exercícios utilizados para recuperação.

Com informações UOL

Saiba onde vacinar hoje

Hoje em Campo Grande serão dois pontos para aplicação das vacinas:

  • Drive-thur Albano Franco e Guandizão, ambos das 7 às 17h (de MS).

Podem ser vacinados:

  • Quem tem mais de 65 anos e tomou a segunda dose até de 17 maio;
  • Imunossoprimidos com 18 anos ou mais que tomaram a segunda dose há 28 dias;
  • Quem tomou primeira dose da Pfizer até 17 agosto;
  • Quem tomou primeira dose da Astrazeneca até 20 de julho e
  • Quem tomou primeira dose da Coronavac até 28 de agosto.
whatsapp-image-2021-09-17-at-18.09.36

Covid 19 – Campo Grande segue com 2ª doses e reforço neste sábado

A vacinação contra a Covid-19, em Campo Grande, neste sábado (18), é para cinco públicos e a partir das 7h30 (de MS), em três pontos de imunização e mais as unidades de saúde. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), podem ser vacinadas:

  1. Pessoas com 65 anos ou mais que tomaram a segunda dose até 17 de maio;
  2. Pessoas com alto grau de imunossupressão com 18 anos ou mais, que tomaram a segunda dose há pelo menos 28 dias. Neste caso, é preciso apresentar laudo médico;
  3. Quem tomou primeira dose da Pfizer até 17 de agosto;
  4. Quem se vacinou com a primeira dose da AstraZeneca até 19 de julho;
  5. Quem recebeu a primeira dose da CoronaVac até 27 de agosto.

Aqueles que estão nestes cinco grupos poderão procurar apenas cinco pontos de imunização, das 7h30 às 17h. Confira os locais:

  • Drive-thru Ayrton Senna: 7h30 às 17h;
  • Drive-thru UCDB: 7h30 às 17h;
  • Seleta: 7h30 às 17h;
  • Unidades de Saúde: 7h30 às 17h (veja os locais na imagem abaixo).

Setembro Amarelo

Origem

A origem de todo esse movimento de conscientização contra suicídio começou com a história de Mike Emme, nos Estados Unidos. O jovem era conhecido por sua personalidade carinhosa e habilidade mecânica, tendo como sua marca um Mustang 68 que ele mesmo restaurou e pintou de amarelo. 

Porém, em 1994, Mike cometeu suicídio, com apenas 17 anos. Infelizmente nem a família, nem os amigos de Mike, perceberam os sinais de que ele pretendia tirar sua própria vida.

No funeral, os amigos montaram uma cesta de cartões e fitas amarelas com a mensagem: “Se precisar, peça ajuda”. A ação ganhou grandes proporções e expandiu-se pelo país.

Diversos jovens passaram a utilizar cartões amarelos para pedir ajuda a pessoas próximas. A fita amarela foi escolhida como símbolo do programa que incentiva aqueles que têm pensamentos suicidas a buscarem ajuda.

Em 2003, a Organização Mundial da Saúde(OMS) instituiu o dia 10 de setembro para ser o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio. O amarelo do Mustang de Mike é a cor escolhida para representar essa campanha.

No Brasil esta campanha foi criada em 2015. O projeto é um trabalho conjunto do CVV (Centro de Valorização da Vida), CFM (Conselho Federal de Medicina) e ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria). O objetivo é conscientizar sobre a prevenção do suicídio e dar visibilidade à causa.

Ao longo dos últimos anos, escolas, universidades, entidades do setor público e privado e a população de forma geral se envolveram neste movimento. Monumentos como o Cristo Redentor (RJ), o Congresso Nacional e o Palácio do Itamaraty (DF), o Estádio Beira Rio (RS) e o Elevador Lacerda (BA), participam da campanha.  

De acordo com a OMS – Organização Mundial de Saúde, a cada 40 segundos, uma pessoa comete suicídio em algum lugar do mundo. Em um ano, mais de 800 mil pessoas perdem sua vida dessa maneira. Dados levantados pela instituição em 2016 também apontam que o suicídio é a segunda principal causa de morte entre jovens e adolescentes com idades entre 15 e 29 anos. Já no Brasil, cerca de 12 mil suicídios são registrados todos os anos.


Hoje

Trata-se de uma triste realidade e, em 96,8% dos casos há relação com transtornos mentais. Entre as principais doenças relacionadas está a depressão, seguida do transtorno bipolar e abuso de substâncias.

Os índices crescentes de suicídios nas últimas décadas alertam sobre a importância de falar sobre o assunto. Ainda há muito tabu sobre o tema, mas colocar em pauta na sociedade é fator importante para evitar a perda de outras vidas.

A campanha Setembro Amarelo, mobiliza a sociedade para conscientização sobre o tema, falando sobre como identificar sinais da ideação suicida, como ajudar ou buscar ajuda.

Se precisar, peça ajuda

Se você está passando por um momento difícil e perceber que não consegue lidar com suas angústias sozinho, busque ajuda.

O apoio profissional pode ser muito importante para superar uma fase difícil ou receber o diagnóstico correto para um tratamento efetivo. Por mais complicada que seja a situação, há sempre uma saída.

Psicólogos e psiquiatras são profissionais que podem ajudar. O psicólogo poderá auxiliar você a lidar com as angústias e desenvolver ferramentas para superá-las. Enquanto o psiquiatra pode indicar o tratamento medicamentoso para combater os sintomas depressivos.

O CVV é gratuito

O Centro de Valorização da Vida (CVV) trabalha para oferecer suporte emocional e realizar a prevenção do suicídio. A organização é reconhecida como Utilidade Pública Federal desde a década de 1970.

Voluntários ficam à disposição 24 horas para oferecer atendimento pelo telefone 188 ou pelo chat online no site. O atendimento é anônimo e realizado por voluntários que guardam sigilo.

como pode ser o futuro de quem decidir rejeitar a vacina covid19

Covid-19: como pode ser o futuro de quem decidir rejeitar a vacina?

Com mais de um quarto da população vacinada com as duas doses, as discussões sobre o assunto começaram a ganhar força no país nas últimas semanas.

As decisões mais recentes a respeito do tópico vieram das cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro, que já anunciaram a implementação de algumas regras de convivência entre os imunizados.

Na capital carioca, as pessoas terão que apresentar um comprovante de vacinação em locais fechados de uso coletivo, como teatros, museus, cinemas, estádios e academias.

O documento também será necessário para a realização de cirurgias no sistema público e para o acesso a serviços de cidadania e transferência de renda do município.

“Nosso objetivo é criar um ambiente difícil para aqueles que não querem se vacinar, que acham que vão se proteger sem a aplicação do imunizante e terão uma vida normal. Não terão”, disse Eduardo Paes (PSD), prefeito do Rio de Janeiro.

 Já em São Paulo, a gestão do prefeito Ricardo Nunes (MDB) havia anunciado uma política bem parecida no dia 23 de agosto, mas voltou atrás após sofrer uma série de críticas.

 De acordo com um decreto publicado cinco dias depois, o passaporte da vacina paulistano será exigido em eventos que reúnam mais de 500 pessoas, como é o caso de jogos, shows, feiras e congressos. Esses projetos, porém, são criticados pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Numa entrevista no dia 27 p.p., ele afirmou que “o passaporte não ajuda em nada”.

“Você começar a restringir a liberdade das pessoas, exigir um passaporte, um carimbo, querer impor por lei o uso de máscaras e multar as pessoas, nós somos contra”, argumentou.

Essas políticas têm amparo jurídico?


Na avaliação de Fernando Aith, advogado especialista em direito sanitário, medidas que restringem a entrada de pessoas não vacinadas em estabelecimentos estão alinhadas a uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de dezembro de 2020.

“À época, o ministro Ricardo Lewandowski foi o relator da questão e deixou claro que a vacina no Brasil é obrigatória, mas não é compulsória. Ou seja, é um dever do cidadão tomar as doses, mas o poder público não pode pegar ninguém à força”, resume o especialista, que é professor titular da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP).

No plenário, a maioria dos ministros do STF seguiu a avaliação de Lewandowski e a votação terminou com 10 votos a favor da decisão e apenas um contra — o ministro Nunes Marques apresentou ressalvas ao tópico.

“A saída para induzir as pessoas a cumprirem com a obrigação de vacinarem-se é a adoção de medidas legislativas. Com isso, União, Estados e municípios podem limitar direitos para proteger o restante da sociedade. O indivíduo que optar por não se vacinar pode ser proibido de embarcar em voos, de entrar em repartições públicas e de ingressar em comércios com potencial de aglomeração, como cinemas, bares, shows e assim por diante”, continua.

“Em suma, ninguém vai te obrigar a se vacinar, mas você precisa assumir as consequências de não cooperar com esse esforço coletivo”, conclui Aith.

Mas há um ponto importante nesse debate quando levamos em conta a realidade brasileira: a desigualdade na distribuição de doses. Como exigir comprovantes já em setembro, se muitas faixas etárias só estarão efetivamente imunizadas com as duas doses entre outubro e dezembro, seguindo o calendário de cidades e Estados?

“Se o cidadão demonstrar que cumpriu o dever, está com a primeira dose e aguarda o momento de tomar a segunda, ele não pode ser impedido de usufruir dos serviços”, entende Aith.

“Por um lado, há uma iniquidade, uma injustiça. Por outro, existe uma necessidade de proteger a coletividade da disseminação de um vírus por indivíduos que não estão com o esquema vacinal completo. Isso pode gerar inúmeros debates jurídicos”, antevê o advogado.

Vale destacar ainda que, na esfera privada, empresas brasileiras podem demitir por justa causa os funcionários que se recusarem a tomar a vacina.

“O Tribunal Regional do Trabalho já deu decisões recentes nesse sentido. É um dever patronal proteger os trabalhadores, assim como é dever do funcionário resguardar os seus colegas”, diz Aith.

Com informações BBC News

acao Itinerante vacina mais de 350 pessoas no terminal Bandeirantes

Ação Itinerante vacina mais de 350 pessoas no terminal Bandeirantes

Ontem, em terminal do transporte coletivo vacinou mais de 350 pessoas contra a Covid-19. A próxima ação já está programada para acontecer amanhã, dia 02 de setembro, em um supermercado no bairro Paulo Coelho Machado.

As equipes da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) estiveram ontem, de 08h às 17h, no terminal Bandeirantes, localizado na região Lagoa e vacinaram  354 pessoas. Segundo o secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho, o número é satisfatório, considerando que este tipo de ação atinge pessoas que eventualmente deixariam de ser vacinadas.

“Nestas ações nós acabamos atraindo pessoas que por inúmeras razões poderiam acabar não se vacinando. Portanto, se a gente conseguir atender 100 pessoas que seja, já é um número considerável e bastante importante, porque certamente seriam pessoas que iam deixar de tomar a vacina”, comenta.

Até o momento, aproximadamente 2,9 mil pessoas foram vacinadas nas ações itinerantes realizadas em comunidades dos bairros Santa Luzia e Dom Antônio Barbosa e em supermercados nas Moreninhas, Santo Antônio e Jardim Noroeste, além do terminal Bandeirantes.

Itinerante

A próxima ação está marcada para amanhã, de 08h às 17h, no supermercado Pires, localizada na Avenida dos Cafezais, nº 1.341, bairro Paulo Coelho Machado. O atendimento acontece por ordem de chegada, seguindo calendário estabelecido pela Sesau.

Com informações CGNotícias